A nova diretoria do Arapongas Esporte Clube, juntamente com o grupo de apoio, assumiu o clube no lugar do ex-presidente Renato Sousa Rodrigues na última segunda-feira não conseguiu pagar os salários dos jogadores referentes ao mês de Setembro.

Com uma semana de promessas e mais promessas, o fato é que nenhuma pessoa do “alto escalão” araponguense sequer foi ao Centro de Treinamento para dar satisfações aos atletas e comissão técnica, deixando os excelentes e honrados jogadores do Arapongas sem qualquer tipo de apoio de quem deveria prezar pela sua permanência.

JOGADORES IRÃO EMBORA DO CLUBE

Sem qualquer tipo de informação e “abandonados” no CT, os jogadores do Arapongas deverão pedir a rescisão de contrato em massa após o jogo contra o Nacional neste Sábado (6). Sem qualquer suporte por parte da nova diretoria que sequer apareceu no centro de treinamento, como dito anteriormente, a situação deles no clube é insustentável. Com salários atrasados e itens básicos como água e gelo em falta, essa é mais uma vergonha que o Arapongas Esporte Clube passa no cenário estadual e nacional.

Mesmo com a situação praticamente definida, os jogadores do Arapongas irão a campo (se houver transporte, pois nem eles sabem como chegarão até Rolândia) honrando a camisa do clube, mostrando caráter e força de vontade. A torcida Fúria Verde deverá fazer protesto por tudo o que está acontecendo.

Se de fato acontecer tal situação, o Arapongas Esporte Clube deverá pedir licença junto a Federação Paranaense de Futebol, ficando impossibilitado de participar de quaisquer competições por um período de 2 anos (salvo processos futuros junto ao TJD e STJD).

O time, que tinha totais condições de subir para a segunda divisão neste ano, deixaria novamente seus torcedores órfãos, afinal o clube tem uma torcida apaixonada e fiel, pouco comparável a outras do Estado.

DIRETORIA E GRUPO DE APOIO

Pelo que sabemos, a presidência do Arapongas atualmente pertence à Zé Antônio, que já trabalhou com o ex-presidente Adir Leme da Silva. O grupo de apoio é encabeçado pelo presidente da Câmara de Vereadores de Arapongas, Osvaldo Alves.

DE “POTÊNCIA” AO DESCASO

Na última quinta-feira (4), um grande investidor estava prestes a assumir o Arapongas Esporte Clube, que seria definitivamente presidido por pessoas de Arapongas. Pelo que soubemos, houve reunião entre o empresário e o Grupo de Apoio tanto no período da manhã quanto no período da tarde. O investidor tinha tudo para fazer do Arapongas tão forte e tão competente quanto foi o clube na época de Adir Leme da Silva, MAS… MAS… não chegaram num acordo com o grupo de apoio. E por que não chegaram?

Segundo as mesmas informações, pessoas do grupo de apoio achavam que o clube devia apenas algumas contas e salários dos atletas. O investidor procurou Ernesto Silveira, ex-advogado do clube, mas com amplo conhecimento na esfera esportiva para levantar as dívidas que o clube possuía… Ao que tudo indica, esse (dívidas) foi o estopim para o investidor não aceitar gerir o Arapongas, pois segundo nos foi informado, o mesmo já pagaria os salários dos atletas na mesma quinta-feira, mas que as dívidas do clube fossem ao menos dividida entre ele e o grupo de apoio. Claro, em mudança de CNPJ, o ex-dono do mesmo é responsável pelas dívidas por 2 anos… Só que ele (investidor) sabia que o ex-presidente Renato não teria condições de pagar todas as dívidas e pediu ajuda ao grupo de apoio… O resultado de tudo isso é que dificilmente veremos novamente a pessoa na cidade, pelo menos com esse clube, ao menos que haja uma grande mudança de direção nas quais as coisas estão indo.

O que era para ser uma potência virou descaso. Reiteramos pela terceira vez que ninguém sequer foi dar satisfação aos jogadores, pelo menos até a publicação desta matéria. Esse é o principal motivo da reclamação dos atletas do Arapongas.

FUTURO

Se a nova diretoria e o grupo de apoio quiserem de fato ter o time, que deem alguma satisfação aos jogadores o quanto antes, mas mesmo assim, já pode ser tarde demais.

Seria um fim melancólico do Arapongas Esporte Clube, que muito dificilmente conseguirá credibilidade no município num futuro próximo. A torcida, que tanto ajudou e ajuda o clube, seria novamente colocada para escanteio, um “tanto faz” por parte dos administradores do time, mas que lembrarão da mesma nos períodos que lhes convém.

 

Comentários do Facebook:

comentários