*Matéria feita por Gustavo Mantovani

O Arapongas Esporte Clube, fundado em  06 de junho de 1974, pode ter dado seu último suspiro na tarde do último Domingo (21).

O clube que tem um passado recente marcado por glórias, parece ter chego ao fundo do poço, é verdade que nossa história sempre foi repleta de altos e baixos, idas e vindas, porém dessa vez parece não ter mais saídas para o nosso Arapongão.

O irônico é que, o calvário Araponguense começa quando o time vivia seu auge. Com a chegada de Adir por volta do ano 2008, iniciou-se um projeto que talvez tenha sido o maior projeto profissional da história do Arapongas E.C. O clube tinha estrutura, profissionais competentes e dinheiro para investir, já em 2010 o clube consegue o acesso, tendo no elenco jogadores que até hoje vivem nas lembranças do torcedor, o saudoso Danilo, Baiano, Maicon, Alex Noronha e cia, comandados por Lio Evaristo, conquistam o vice campeonato da segundona e consequentemente o acesso.

A esperança na cidade era grande, o Arapongas voltava á disputar a primeira divisão estadual e a perspectiva era de crescimento, a já citada competência dos profissionais envolvidos na empreitada, aliada ao investimento do clube e sua torcida apaixonada que sempre lotava o Chiappin levaram o Arapongas a ficar na quinta posição na classificação geral com 34 pontos, mesma pontuação que o Cianorte que se classificou para a final do interior e série D naquele ano, o Arapongas só perdeu a vaga pois teve 4 gols a menos de saldo que o Cianorte, vale citar que naquela campanha vencemos o Atlético Paranaense na Arena da Baixada por 2×1 na estréia do campeonato, também empatamos em casa com o Coxa (campeão daquele ano) e vencemos o Paraná também jogando em casa.

Para 2012 o Arapongas montou um time ainda melhor, chegaram Edu Amparo, Léo Itaperuna, Bruno Mataveli, Tiago Adam, Vitor e mais outros grandes jogadores, todos ao comando de Darío Pereira, lendário zagueiro uruguaio e ídolo do São Paulo. Após bom primeiro turno Darío foi demitido com a fraca campanha no segundo turno, para seu lugar chegou Paulo Roberto, conhecido como Luxa do interior. Aquele elenco levou o título do interior após bater o Cianorte nos pênaltis com o Chiappin lotado.

Em apenas 2 anos, o Arapongas tinha saído da série B do paranaense, para se sagrar campeão do interior, vaga na série D do Brasileiro e vaga na Copa do Brasil de 2013.

No ano seguinte o Arapongas não conseguiu chegar na final do interior nem se classificar para a série D, porém fez bonito na Copa do Brasil ao eliminar o São Caetano do pentacampeão Rivaldo. Veio 2014 e a esperança de voltar a disputar um campeonato nacional, porém a campanha do alviverde foi pífia, disputamos o quadrangular do rebaixamento e nos safamos por pouco. Mal sabíamos que aquele era apenas o príncipio do nosso inferno, no arbitral para o campeonato de 2015, o presidente e dono do Arapongas, Adir Leme da Silva, pede licença do campeonato e abandona a cidade, o Arapongas de time emergente do futebol paranaense, respeitado e temido pelos grandes do estado, saía de cena e voltava para a terceira divisão do paranaense, a cidade que respirava futebol e o Arapongas E.C, sofreu um baque gigantesco, quando todos achávamos que alcançar divisões maiores do futebol brasileiro e brigar por título no Paranaense era apenas questão de tempo, tivemos que nos deparar com a incerteza de continuidade do Arapongas Esporte Clube.

O Arapongão voltaria aos gramados apenas em 2016, 2 anos após sua última partida na série A do Paraná, foi montado um time horroroso que conseguiu terminar o campeonato na sétima posição com 19 pontos. Quando a torcida achava que não podia ficar pior, ficou! Renato assumiu o time após a terceirona daquele ano, o novo mandatário do Arapongas sempre foi uma incógnita na cidade, poucas vezes deu a cara por aqui, entrevista raras, e em seu primeiro ano de gestão o time foi uma bagunça, trocou de treinador 2 vezes antes do campeonato começar, quando o campeonato começou o time foi goleado, rumores de que haviam brigas internas e etc… O final não foi surpresa, o Arapongas mais uma vez passou vergonha. Chegou 2018 e com ele a esperança de voltarmos ao nosso lugar, um grupo de apoio passou a auxiliar o time, foi montado um bom elenco com totais condições de acesso, talvez o melhor time que por aqui passou desde que Adir foi embora. As possibilidades de acesso eram reais, bastava uma vitória em casa na última rodada para alcançar as semi-finais da competição, porém a falta de pagamento de salários por parte do Renato acabaram com tudo isso, atletas foram embora, funcionários do alojamento do clube ficaram sem receber, o Arapongas ficou com dívidas em vários lugares e menos de 100 torcedores assistiram o W.O frente ao Grecal, o Arapongas sofreu o pior golpe em toda sua gloriosa história, o W.O em casa, numa partida que era pra ter garantido nossa vaga nas semis da competição, representou mais uma decepção para a torcida, e tudo isso porque o presidente da instituição não pagou o salário dos profissionais que honravam nossa camisa, o presidente rasgou e pisou na nossa história, afundou o Arapongas em dívidas e mais dívidas, o Arapongas que nós conhecemos está no fundo do poço e não existem perspectivas de melhora, o clube hoje é uma empresa, pertence ao senhor Renato, por esse motivo não há evidência de que é possível retomar o Arapongas, está claro que a torcida Araponguense não irá apoiar e nem comparecer nos jogos do Arapongas enquanto esse for administrado por Renato,  ele também não dá satisfação sobre o que está acontecendo, se pretende encerrar o time ou se pretende passar o CNPJ pra frente.

Não sei se alguém terá interesse em comprar o Arapongas, pois as dívidas são gigantes, um novo dono herdaria dívidas trabalhistas e com fornecedores, não sei o tamanho exato dessas dívidas mas com certeza não são poucas. Vale ressaltar que a torcida organizada Fúria Verde, ajudou o elenco do Arapongas nos últimos meses com mantimentos básicos, pois nem isso os jogadores recebiam! Triste fim do Arapongas, 6 anos após o maior momento de sua história, tem seu fim decretado por uma pessoa que não foi capaz de tocar o clube em frente, não adianta agora procurar culpados ou apontar erros, infelizmente o Arapongas morreu, ou melhor, mataram o Arapongas, resta torcermos para que o futebol em nossa cidade renasça o quanto antes, seja com o Arapongas ou com outra equipe, que o futebol ressurja por aqui e que seja para ficar, a torcida apaixonada da cidade não merece aventureiros no comando do futebol profissional Araponguense.

Comentários do Facebook:

comentários